header image

Favorece a coesão social

Favorece a coesão social

São notáveis os exemplos que demonstram que a educação diferenciada pode ajudar a combater o fracasso escolar e fomentar a igualdade de oportunidades entre os alunos com uma situação socioeconómica desfavorecida.

A experiência dos EUA

Em 2001, o Congresso dos EUA aprovou a lei No Child Left Behind Act (“Que nenhuma criança fique para trás”) para fazer frente ao fracasso escolar. A lei tornou possível que os centros de educação pública incorporassem programas de educação diferenciada.

Em menos de 10 anos os centros públicos com estas características superaram o meio milhar, com resultados muito positivos. Tanto Barack Obama, presidente dos EUA, como Arne Duncan, secretário de Estado da Educação, manifestaram-se publicamente a favor do modelo.

VANTAGENS PARA RAPARIGAS

O caso mais paradigmático é o da Young Women's Leadership School de New York, uma escola para raparigas do Harlem e do Bronx, 70% das quais vivem abaixo do limiar de pobreza. Os que a criaram em 1996 – durante o mandato presidencial de Bill Clinton – deram-se conta de que as raparigas viviam num meio dominado pelos rapazes.

No ano de 2002, a percentagem de acesso à universidade foi de 96%, em comparação com os 50% em média, em Nova Iorque. Estes resultados mantiveram-se e, no ano de 2006, a TYWLS East Harlem obteve o primeiro lugar por proporção de graduados, com 100%. Em 2007, este indicador foi de 97%, em comparação com a média da cidade, que se manteve em 50%.

Assim, a Young Women's Leadership Foundation iniciou a experiência noutras escolas. Atualmente, a sua rede de centros oferece educação a 1652 raparigas em zonas economicamente desfavorecidas, entre os 12 e os 18 anos em Nova Iorque, Filadélfia e Chicago. No decurso de 2007-2008, a origem demográfica das suas estudantes era: 51% afro-americanas, 35% latinas, 9% asiáticas e 5% de outras procedências.

A implementação de escolas só para raparigas para melhorar as suas possibilidades de progresso social também está a acontecer noutros pontos do mundo.

VANTAGENS PARA RAPAZES

Nos bairros mais desfavorecidos de Chicago, só um em cada 40 alunos afro-americanos chegava à universidade. Devido a estes números tão preocupantes nasceu o projeto Prep Urban Project – escola secundária pública para rapazes afro-americanos, na qual se entra por sorteio. A quota de sucesso escolar destes centros é superior a 95%. De facto, um dos primeiros colégios visitados por Obama e a sua esposa foi uma destas escolas, o que levou a que os seus alunos sejam conhecidos como little obamas. 

Fontes
- Duncan can provide change we need.Chicago Tribune, Letter to the Editor 12/19/2008
- Charter Schools, Why they work. Plus: Arne Duncan talks education. Chicago Magazine. Febrero de 2009 

TWITTER